Imagem

Glaucoma é a primeira causa prevenível de cegueira em Portugal e no mundo

 

 

O glaucoma continua a ser uma das principais causas de cegueira em Portugal e afecta mais frequentemente pessoas idosas. A propósito do Dia Mundial da Visão, que se assinala no próximo dia 13 de outubro, a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO) lembra que o glaucoma continua a ser a segunda causa de cegueira a nível mundial, sendo a primeira causa prevenível de cegueira irreversível.
 

Segundo o Plano Nacional de Visão 2005-2010, a doença afeta cerca de 67 mil portugueses, estando, no entanto, identificados 200 mil hipertensos oculares, isto é, pessoas com valores altos de pressão intraocular, mas que ainda não sofrem de glaucoma.
 

O glaucoma é uma doença do nervo óptico, de evolução crónica, que conduz à perda progressiva do campo visual. Na fase inicial é geralmente assintomático, tornando-se incapacitante nas fases mais tardias e originando dependência de terceiros. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta para uma prevalência mundial de 70 milhões de indivíduos afetados e 2,5 milhões de novos casos por ano.
 

Segundo Manuela Carvalho, do Grupo Português de Glaucoma da SPO, “o impacto social do glaucoma é pesado, dado que atinge 1 a 4 por cento da população com mais de 40 anos. Um estudo publicado recentemente no jornal científico «Current Medical Research and Opinion» revela que o custo anual do tratamento do glaucoma é bastante inferior ao custo anual social da cegueira. O seu diagnóstico pode ser realizado por um oftalmologista numa consulta de rotina, pelo que é fundamental que toda a população esteja sensibilizada para a importância de consultar um oftalmologista de forma regular”.
 

A vigilância regular é também fundamental na infância, explica Eduardo Silva, especialista em oftalmologia pediátrica e membro da SPO, que realça que “a promoção da saúde visual em idade pediátrica e na adolescência é muito importante , pois a deteção precoce de problemas visuais pode garantir um melhor desenvolvimento físico, emocional e social das nossas crianças”.
 

Já Fernando Bivar, do Grupo Português de Ergoftalmologia da SPO, refere que “a saúde oftalmológica dos portugueses está condicionada pela ineficácia das escolhas da informação visual por parte das várias instituições da nossa sociedade. As cores e os contrastes escolhidos e a forma de colocar informação vertical e horizontal deveriam obedecer à fisiologia da visão, para que toda a sinalética possa ser melhor percebida por quem vê bem mas também por aqueles que sofrem de patologias oculares”.
 

A “Saúde visual na criança”, “Ambiente e oftalmologia” e o Glaucoma serão os temas debatidos pela SPO com representantes de outras sociedades médicas portuguesas numa sessão comemorativa do Dia Mundial da Visão, promovida com o objetivo de “sensibilizar os colegas das restantes especialidades para a importância da saúde visual da população portuguesa, focando os problemas que podem ser prevenidos ou tratados quando detetados numa fase inicial, como é o caso do glaucoma e das doenças oftalmológicas pediátricas”, explica Manuela Carmona, presidente da SPO.
 

A presidente realça ainda que “a SPO considera que uma maior colaboração entre especialistas contribui para que o doente seja melhor tratado, pelo que estamos à disposição das outras sociedades para colaborar naquilo que for necessário. Ao trabalharmos juntos podemos contribuir para que a população portuguesa seja mais saudável e seja tratada de forma mais eficaz”.

 

 

In Portal do Cidadão com Deficiência

Imagem

Os idosos que tomam aspirina diariamente são duas vezes mais propensos a ter o último estágio da Degeneração Macular relacionada com a idade (DMI), do que as pessoas que nunca tomam o analgésico, de acordo com um estudo europeu publicado na revista "Opthalmology".

 

Os dados não mostram que a aspirina causa perda de visão, mas os resultados são motivo de preocupação se a aspirina, de algum modo, agravar a doença ocular, dado o número elevado de idosos que a tomam diariamente por prevenir doenças do coração.
 

Para o estudo, os investigadores, liderados por Paulus de Jong, do instituto holandês de neurociência, recolheram informações sobre saúde e estilo de vida de quase 4.700 pessoas com mais de 65 anos. O estudo incluiu idosos noruegueses, estónios, ingleses, franceses, italianos, gregos e espanhóis.
 

Das 839 pessoas que tomavam aspirina diariamente, 36 tinham uma forma avançada da doença chamada degeneração macular húmida - cerca de quatro em cada 100 utilizadores de aspirina. Em comparação, apenas duas em cada 100 pessoas que tomavam aspirina com menos frequência tinham o mesmo tipo de degeneração macular.
 

Os investigadores também verificaram que a toma de aspirina não estava relacionada à forma seca, nem aos estágios iniciais da doença.
 

A forma húmida da doença, causada pelo rompimento de vasos sanguíneos nos olhos, leva à perda de visão no centro do campo visual. A forma seca é mais comum e menos grave, embora as pessoas ainda sofram com essa deficiência visual. Juntas, a degeneração macular húmida e a seca constituem as principais causas de perda da visão entre pessoas com mais de 60 anos, tingindo milhões de idosos.
 

Os investigadores alertam, contudo, as pessoas com doenças cardiovasculares que tomem aspirina para prevenir que a condição se agrave que os benefícios da toma do fármaco superam os riscos para a saúde visual.

 

 

In Portal do Cidadão com Deficiência

Eles participaram de curso de massoterapia durante três meses.
Atendimento é gratuito e voltado a passageiros e funcionários do terminal.

 

 

Deficientes visuais que concluíram o curso de massoterapia desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Fortaleza (SDE) participam de ação em que promovem massagens no aeroporto de Fortaleza até o dia 26 de outubro. O atendimento é gratuito voltado para passageiros e funcionários do terminal.

 

Segundo a assessoria da SDE, o objetivo do projeto é a inclusão social e profissional de pessoas com deficiência capacitando-os como profissionais de massoterapia. A instrução ocorreu durante três meses e também foi destinada aos familiares dos deficientes visuais que residem em áreas vulneráveis dos bairros adjacentes ao Aeroporto Internacional Pinto Martins.

 

As massagens são realizadas na área vip e no saguão do Aeroporto Internacional Pinto Martins (Avenida Senador Carlos Jeireissati, 3000) das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30.

 

 

 

In Globo.com

Sobretaxa extraordinária sobre os rendimentos sujeitos a IRS

 

Apreciação da APD

 

A Lei n.º 49/2011, de 7 de Setembro não integra qualquer disposição que isente os trabalhadores e pensionistas com deficiência desta sobretaxa extraordinária.

 

É nosso entendimento que tendo o Orçamento do Estado para 2011 mantido transitoriamente a isenção de tributação de 10% dos rendimentos brutos auferidos em cada uma das categorias A (trabalho dependente), B (trabalho independente) e H (pensões), dos contribuintes com deficiência, relativamente à sobretaxa extraordinária a aplicar ao subsídio de Natal, publicada na Lei nº 49/2011, de 7 de Setembro, deverão as entidades devedoras dos rendimentos fazer incidir a taxa de retenção na fonte, aquando do seu pagamento sobre 90% do subsídio de Natal, dos contribuintes com deficiência.

 

De facto, a sobretaxa extraordinária a aplicar ao subsídio de Natal de 2011, incide sobre o englobamento do rendimento colectável, nos termos do artº 22º do CIRS e os rendimentos dos contribuintes com deficiência são englobados em 90%.

 

O imposto será cobrado pela retenção na fonte (trabalhadores dependentes e pensionistas) de 50% da parte do subsídio de Natal, depois de deduzida a retenção normal de IRS, contribuições obrigatórias para regimes de protecção social e subsistemas legais de saúde, que exceda o salário mínimo nacional (485,00€). Aquando da entrega da Declaração Anual de IRS, a DGCI fará o acerto na respectiva liquidação, em que aplicará uma taxa de 3,5% sobre os rendimentos englobados, que excedam, por sujeito passivo, o valor anual da retribuição mínima mensal garantida.

 

 

Lisboa, 14 de Setembro de 2011

 

 

 

In Associação Portuguesa de Deficientes

 

Como serão as bengalas do futuro?

 

 

Você provavelmente nunca parou para pensar nisso, a menos que trabalhe como diretor de arte de filmes futuristas. Utilizar a tecnologia de ponta disponível na fabricação de uma bengala parece ser mesmo uma tarefa complicada – é difícil aprimorar algo que evoluiu tão pouco nos últimos séculos.

 

 

Os designers Messizon Li e Fan Yang, aparentemente, resolveram este problema com a E-Touch, a bengala tecnológica. 

 

 

A E-Touch possui uma bússola, é sensível ao toque e tem um sistema interativo para facilitar o uso de transporte público.

 

 

A bengala futurista tem também espaço para cartão SD, que pode armazenar mapas, e ainda dita as instruções para o fone de ouvido do usuário, via Bluetooth.

 

 

 

in Super Interessante

As Ajudas Técnicas (agora designadas por "Produtos de Apoio") são aparelhos que se destinam a compensar a perda de alguma funcionalidade causada por uma deficiência ou incapacidade. São exemplos de produtos de apoio, as cadeiras de rodas, as rampas, os computadores com voz ou braille para pessoas cegas, e muitas outras.

 

O preço destes equipamentos é geralmente muito alto para ser suportado pelo próprio. A obtenção de subsídio para a sua compra é um processo demorado e burocrático. Por estes motivos, muitos milhares de pessoas se vêem privados das ajudas de que precisam para o seu dia-a-dia, para estudar ou para trabalhar.

 

Por outro lado, muitos proprietários destes equipamentos já deixaram de os usar, por diversos motivos. Ou porque a sua condição de deficiência se alterou, ou porque adquiriram um produto mais recente, ou por outro motivo.

 

A Electrosertec, como empresa especializada em produtos de apoio, lança o programa ReAT - Reutilização de Ajudas Técnicas destinado à compra e venda de produtos de apoio usados.

Como funciona o ReAT?
 

Os interessados em vender produtos de apoio devem transferir e preencher o formulário de venda disponível na área de transferências do sítio web da Electrosertec. A Electrosertec colocará o produto à venda na sua loja online na secção de produtos usados.

 

Quando algum cliente manifestar interesse num determinado produto, a Electrosertec entrará em contacto com o vendedor, para que este envie o produto para ser testado nos nossos serviços técnicos. Se o teste do produto for bem sucedido, a Electrosertec realizará a venda do mesmo, entregando ao vendedor o valor acordado.

 

SIMPLES
O ReAT é um serviço simples e muito eficaz para o reaproveitamento de produtos que são muito úteis e procurados.

 

SEGURO
O ReAT é seguro, porque os produtos são testados e a Electrosertec oferece uma garantia adequada à idade do equipamento.

 

Dê já hoje uma nova vida aos seus produtos de apoio. Para mais informações contacte:

Electrosertec
Rua Combatentes da Grande Guerra, 51-B
1885-024 Moscavide
Portugal
Telefone: (+351) 219 435 183
E-mail:
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

Webmaster de:

Recomendo:

Atenção! Este sítio usa cookies. Ao continuar a utilizar o sítio concorda com o uso de cookies. Saber mais...