O web design pode ser visto como uma extensão da prática do design, onde o foco do projecto é a criação de páginas de sítios para partilha de informação e documentos disponíveis no ambiente da internet.
 
O Webdesigner é o profissional que cria o design do sítio é o design ou projecto é um produto, voltado para internet.
 
O web design tende à multidisciplinaridade, uma vez que a construção de páginas web requer subsídios de diversas áreas técnicas, como por exemplo, áreas como a arquitectura da informação, programação, usabilidade, acessibilidade entre outros.
 
A preocupação fundamental do webdesigner é agregar os conceitos de usabilidade com o planeamento da interface, garantindo que o utilizador final atinja os seus objectivos de forma agradável e intuitiva.
 
 
Porquê ter um sítio na internet
Os benefícios de se ter uma identidade virtual são vários. Podemos apontar como os principais o facto de a internet ser o meio que passa as devidas informações de maneira rápida e objectiva. Gerando um grande segmento sobre o cartão de visitas sem haver pressão sobre o cliente. Este fica à vontade para decidir o que consumir, sendo atraído de forma natural aos domínios empresariais.
 
Torna a relação mais amigável com o consumidor, por diminuir significativamente as necessidades e inconveniências inerentes às outras formas de divulgação como: telemarketing, panfletos poluentes, correspondência e outdoor que causam poluição visual e ambiental. Desse modo, esclarece mais que todos os meios anteriores citados e com mais elegância se for contratado o profissional correcto para direccioná-lo devidamente. E o custo com a mão-de-obra e matéria-prima são muito menores, pois, precisam contar com inúmeros profissionais e/ou despesas de impressão altíssimas devido à demanda comercial. Outra vantagem que leva sobre as outras formas de anúncios, é que pode ser acedido a qualquer hora e lugar que tenha internet, tornando mais conveniente e as propostas oferecidas sendo analisadas com mais peculiaridade e calma.
 
Navegadores
São programas responsáveis por interpretar o conteúdo de um sítio, disponibilizando assim a interface com a qual o utilizador final irá interagir. O navegador está para o webdesign assim como o papel está para o jornal. A grande variedade de navegadores e a discrepância entre recursos fez os seus próprios criadores caminharem em direcção a um padrão comum.
 
Actualmente é indispensável criar sítios seguindo os padrões da W3C. A World Wide Web Consortium (W3C) é o órgão responsável por recomendar padrões de desenvolvimento para a internet. Por meio destes padrões pode-se classificar: sítios de acordo com suas características técnicas, indo além do visual e; navegadores, de acordo com sua capacidade em atender aos padrões definidos.
 
O grande objectivo de seguir os padrões do W3C é de possibilitar que a informação veiculada pelo sítio permaneça, independente do dispositivo utilizado pelo visitante, acessível a todos de igual forma.
 
Existe um leque enorme de programas usados pelos webdesigners. Para construção do código, por se tratar de simples texto, qualquer editor de texto pode servir de suporte para a criação do código. Entretanto, há programas tanto gratuitos como de uso comercial, com interface WYSIWYG, que são amplamente utilizados no mercado tanto para gerir sítios, quanto para apenas editar códigos.
 
Estrutura e layout
A estrutura, também conhecida como arquitectura de informação, do sítio deve contemplar o seu objectivo, tornando a experiência do utilizador o mais confortável e fácil possível, o qual designamos de usabilidade. Deve-se planear a estrutura de forma que o utilizador obtenha facilmente a informação ou serviço desejado. Hoje em dia são inúmeras as formas que um sítio pode adquirir e a criatividade continua a ser o grande diferencial na produção de web.
 
O layout precisa transmitir a informação desejada com eficiência. É preciso que o layout seja um elo de comunicação com o utilizador, que sua linguagem seja condizente com o objectivo do sítio.
 
A maioria dos layouts antigos dos sítios eram feitos com tabelas na linguagem HTML, porém esta forma não é a mais apropriada pois as tabelas devem ser utilizadas apenas para exibir dados tabulados. Entretanto existem layouts que são completamente produzidos sem a presença de tabelas, são os famosos "tableless" e esta sim é a melhor forma de estrutura para layouts.
 
tableless não pode ser entendido como na tradução livre, que seria literalmente "sem tabelas". Tableless é um conceito e deve ser entendido como aplicação das webstandards (normas da web desenvolvidas pela W3C).
 

Webmaster de:

Recomendo:

Atenção! Este sítio usa cookies. Ao continuar a utilizar o sítio concorda com o uso de cookies. Saber mais...