Todos nós sofremos pelos nossos pets, seja em uma situação de rotina ou mesmo em casos mais graves como a cegueira canina. Mesmo com toda a preocupação do mundo, se um cachorrinho fica cego, é preciso aprender com a nova situação e fazer exatamente como os próprios bichinhos fazem: adaptar-se e seguir em frente.

A médica veterinária do Hospital Veterinário Pró, Vita Rhea Cassuli Lima dos Santos, aponta o que pode prejudicar a visão do pet, causando até mesmo cegueira definitiva.

"Dentre os principais fatores que podem deixar um pet completamente cego estão as doenças degenerativas da retina, uma atrofia de iris, a própria catarata ou a calcificação da lente. Todas essas doenças podem levar à cegueira" enumera doutora Rhéa, apontando que nas doenças degenerativas não há uma razão para que esse quadro de cegueira ocorra.

"Outra causa da cegueira pode ser um trauma importante na face, que pode casuar problemas nas retinas. Bater o olho em uma superfície dura, por exemplo. É preciso também ficar atento aos pacientes com pressão alta ou os que apresentam picos de pressão, pois podem deslocar a retina" completa doutora Rhéa.

Cães menores, problemas maiores?
Diferente do que muitos pensam, as raças pequeninas não são predispostos à cegueira diretamente. "As raças que apresentam problemas cardíacos e renais tendem, sim, a ter pressão mais alta e, consequentemente, predisposição para a perda de visão" explica Rhéa.

Como perceber se o pet está perdendo a visão
Não percebemos, mas eles se adaptam muito bem com a cegueira dentro de casa. Podemos notar alguns problemas quando mudamos a organização dentro de casa.

"Cães e gatos se acostumam a subir e descer até o momento em que mudamos as uma cadeira ou um sofá. Eles podem começar a esbarrar. Mas, de maneira incrível, isso não prejudica a vida deles. água e comida eles conseguem encontrar" explica a média veterinária.

Pela noite, vale ficar atento. Algumas doenças criam cegueira de maneira progressiva e eles começam a perder a qualidade de visão no escuro. "Quanto mais escuro, pior para o pet enxergar" diz doutora Rhéa.

Nos diabéticos, a cegueira pode ser imediata. "É muito rápido, então não dá tempo para o paciente se adaptar com a situação".

Tem tratamento?
Doutora Rhéa explica que o tratamento vai depender de cada causa. "Alguns casos há a possibilidade de cirurgia, como a catarata, mas nas doenças degenerativas a gente tem muito pouco que fazer. Existem alguns procedimentos que podem ajudar a retardar a progressão da doença, mas cura é bem difícil" conclui a médica veterinária.

A história de superação diária da Espuma, uma beagle com vontade de viver
A balconista Simone Macedo Vogel testemunha todos os dias, nos últimos dois anos, a força de vontade de viver da sua beagle chamada Espuma. A cachorrinha é diabética, mas Simone não imaginou que a doença poderia ser tão devastadora de uma maneira tão rápida.

"A Espuma bebia muita água, e eu achei que era pelo calor. Um dia, ela quase entrou em coma e eu levei até a doutora Rhéa. E lá, com os exames, eles conseguiram detectar a doença e salvar a vida dela. Mas ficou a sequela da visão, foi muito rápido" relata Simone.

Mas a cegueira não impede a cachorrinha de viver como sempre fez. "Foi muito sofrimento no começo, mas sabe como é cachorro. É um bicho incrível. Hoje ela já se adaptou muito bem. Ela compreende as coisas, sabe usar o olfato e a audição para tudo. Algumas vezes ela se perde, quando mudamos algo de lugar, mas logo ela já se encontra" explica a dona da beagle.

E a vida segue na casa da Simone, com a Espuma independente tal qual qualquer cachorrinho normal.

Sobre Rhea Cassul Lima dos Santos
Rhéa Cassuli Lima dos Santos é médica veterinária graduada pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), especialista com residência em Clínica Médica de Pequenos Animais também pela UTP, e especializanda em Endocrinologia e Metabologia de Cães e Gatos pela Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais de São Paulo.

Sobre o Hospital Veterinário Pró Vita
O Hospital Veterinário Pró Vita conta com profissionais qualificados e especialistas em diversas áreas para garantir o melhor atendimento, além de uma estrutura completa para internamento dos animais. Os bichinhos são supervisionados 24 horas por dia por profissionais preparados, que monitoram sua condição constantemente, e estão prontos para intervir com agilidade e precisão!

Outro diferencial do Pró Vita é um espaço só para os felinos, com consultório especial e sala de internamento só para gatos, reduzindo, assim, o estresse dos felinos em um ambiente estranho, e diminuindo o contato com a presença de cães no mesmo ambiente.

 

 

in Paranashop

Webmaster de:

Recomendo:

Atenção! Este sítio usa cookies. Ao continuar a utilizar o sítio concorda com o uso de cookies. Saber mais...